8 de março: Dia Internacional da Mulher Trabalhadora - 2018

8 de março: Dia Internacional da Mulher Trabalhadora

O Dia Internacional da Mulher é uma data marcada por lutas históricas das trabalhadoras em todo o mundo.

Neste dia, o Sindicato dos Comerciários de Belo Horizonte e Região destaca o papel das trabalhadoras que estão no dia a dia à frente dos estabelecimentos e cumprindo as mais variadas funções dessa nossa grande categoria, as companheiras funcionárias, colaboradoras, diretoras de base e da direção de nosso Sindicato. Em nome delas, transmitimos nosso abraço fraterno a todas as mulheres trabalhadoras e nosso reconhecimento por seu trabalho e por sua luta.

Os trabalhadores brasileiros enfrentam duras lutas. Resistimos de todas as formas contra as investidas de governos e patrões que com suas “reformas”, atacam os direitos e a organização sindical. As “reformas” trabalhista e previdenciária atacam direitos históricos como a regulamentação da jornada de trabalho, a aposentadoria, entre outros. São direitos pelos quais milhares de homens e mulheres lutaram. E em sua defesa seguimos lutando.

Entendemos que nesse mundo de desigualdades, as mulheres enfrentam ainda mais obstáculos: na maioria dos casos recebem salários menores que os homens que realizam as mesmas funções, são alvo de assédio e preconceitos. Contra esses e outros abusos as mulheres tem elevado sua voz e com muita luta têm sido cada vez mais ouvidas e respeitadas. É uma luta difícil, mas necessária e urgente.

O Dia Internacional da Mulher nos ensina que a luta das classes trabalhadoras não se restringe a luta por melhores salários e condições de trabalho, mas aponta para que também lutemos por uma sociedade em que os direitos das mulheres sejam realmente respeitados para que elas possam cumprir de forma plena suas tarefas como agente transformador na sociedade.

O Sindicato dos Comerciários parabeniza as trabalhadoras de todas as categorias, em todos os países. No seu dia, reafirmamos nosso compromisso de luta reconhecendo que as mulheres são metade decisiva da grande força sem a qual a luta dos trabalhadores não poderá ser vitoriosa.