1º de Maio de União e Luta contra as

11/05/2017

Mais uma vez a família comerciária compareceu em peso no 1º de maio convocado pelo Sindicato dos Comerciários de Belo Horizonte e Região. No dia internacional dos trabalhadores, mais de 4 mil trabalhadores comerciários associados e suas famílias compareceram  ao Clube do Comerciário, em São José da Lapa, no 1º de Maio marcado pelo espírito de luta e resistência em defesa dos direitos históricos dos trabalhadores.

O clima foi de União da família comerciária, mas também de protestos.

Saudando todos os presentes, o presidente do SECBHRM, José Cloves Rodrigues, lembrou das conquistas dos comerciários em mais de 90 anos de trabalho e luta do Sindicato em defesa dos interesses de nossa categoria e também das conquistas históricas dos trabalhadores, frutos de décadas de lutas.

“O governo, nesse momento, quer acabar com todo esse trabalho de proteção ao trabalhador, representado pelos sindicatos. O Sindicato dos Comerciários é forte e atuante. Nossa luta sempre se pautou pela defesa dos direitos de nossa categoria, que inclui a luta por melhores condições de trabalho, a melhorias do ambiente de trabalho, promoção da saúde, esporte, lazer e bem estar dos trabalhadores, luta por segurança no trabalho, realização de eventos e debates  no meio sindical. As conquistas trabalhistas e sociais de nossa categoria são frutos da participação do trabalhador no Sindicato. Para continuarmos trabalhando para a nossa categoria precisamos do apoio e da  união de todos os trabalhadores. Só juntos poderemos manter nossas conquistas e  lutar por um futuro melhor para todos os comerciários”.

As palavras do companheiro Cloves foram acolhidas pelos trabalhadores com atenção e aprovação.

Os milhares de trabalhadores associados que estiveram presentes nesse 1º de maio perceberam que ele foi diferente. O dia foi marcado por atividades como a final do Torneio de futebol, com a alegria das crianças da família comerciária, com o sorteio de prêmios, mas o principal: a União dos comerciários se mostrou mais forte e necessária para responder a esse momento de dificuldades que os trabalhadores enfrentam.

Há mais de 130 anos, nos Estados Unidos, em Chicago, ocorreram grandes batalhas que custaram vidas. Essas lutas levantavam a bandeira da jornada de trabalho  8 horas, para que os trabalhadores tivessem 8 horas de descanso e pudessem desfrutar de lazer, estudo e o que mais desejassem nas 8 horas restantes. As lutas de Chicago em 1886 animaram os trabalhadores de todo o mundo para que organizassem suas lutas e conquistassem direitos.

São esses direitos que hoje são atacados pelo governo, que quer fazer a roda da história girar mais de 100 anos para trás.

Mas os trabalhadores lutam mirando o futuro, um futuro melhor, e não permitiremos que nossos direitos sejam retirados!

Vamos reforçar ainda mais nossa União e Luta para barrar esses ataques e para obtermos novas conquistas!

 

Fonte: SECBHRM