Comerciários em ato global em defesa de trabalhadores de FastFood

16/04/2015

O Sindicato dos Comerciários de São Paulo, em parceria com o Sindicato dos Trabalhadores em Restaurantes, Bares e Lanchonetes - SINTHORESP, participou do ato em defesa dos trabalhadores de FastFood, que aconteceu em 15 de abril, em São Paulo.

O ato aconteceu em pelo menos 35 países, incluindo os Estados Unidos, onde esse movimento começou, e teve como pauta de reivindicações o fim do acúmulo de funções, mais segurança no trabalho, e adicional de insalubridade.

— Ao se unirem através das fronteiras, os trabalhadores de fast-food têm a oportunidade de transformar a indústria em todo o mundo — disse Massimo Frattini, um dos organizadores do Sindicato Internacional de Trabalhadores de Alimento, que está coordenando os protestos globais ao “CNN”.

A escolha do dia 15 de abril para o início da paralisação não é ocasional. Esta é a data final na qual os americanos devem apresentar as declarações de imposto de renda, e os grevistas pretendem chamar atenção para a disparidade entre os lucros das empresas e a situação em que se encontram os trabalhadores de baixa renda.

A primeira vez que funcionários de fast-food nos EUA foram às ruas para pressionar por salários de US$ 15 a hora (o pagamento atual é de US$ 7,25/hora) foi há dois anos, e em todas as ocasiões eles encontraram resistência de empresas como McDonald’s, KFC e Burger King.

Fonte: Site Sindicato dos Comerciários de São Paulo