Segurado pode ter acesso à Previdência sem sair de casa

25/08/2014

Segurado pode ter acesso à Previdência sem sair de casa, em vez de se dirigir pessoalmente a agência do órgão da Previdência Social, para obter informações sobre o benefício ou acessar outros serviços. Com isso, em vez de enfrentar longas filas de espera, a pessoa pode obter respostas para questionamentos sem sair de casa ou, se for até o INSS, talvez nem consiga o atendimento, porque não fez o agendamento prévio no site ou pelo telefone.

No portal (www.previdencia.gov.br), os serviços do órgão estão listados no link ‘Serviços ao Cidadão’, onde é possível saber o que é possível fazer pela web. Dá, por exemplo, para obter o valor detalhado da aposentadoria, consultando o extrato de pagamento do benefício; fazer o requerimento de pensão por morte, de forma virtual; realizar simulação do cálculo da renda mensal do benefício, com base no tempo de contribuição atual; ou ainda, calcular contribuição em atraso, para quem perdeu o prazo de pagamento.

Há casos, como a possibilidade de acessar o extrato de vínculos e remunerações, com todas as informações passadas pelas empresas e órgãos públicos onde a pessoa trabalhou, em que é preciso primeiro pegar senha na agência do INSS, mas, uma vez indo até o órgão, nas vezes seguintes em que se quiser fazer a consulta, já não será mais necessário sair de casa.

Ligar para a central 135 é importante, antes de se dirigir a uma unidade da Previdência. Isso porque muitos serviços, como perícias médicas, para pedir auxílio-doença, e a entrada no pedido de aposentadoria, exigem agendamento prévio, que pode ser feito via telefone. Esse número também é necessário para agendar a solicitação de revisão do benefício e para saber o andamento da revisão de auxílios. Neste último caso, também pode se consultar o site, no link ‘Recurso de benefício previdenciário’.

O atendimento virtual, por parte do INSS, assim como já ocorre com outros órgãos do governo (por exemplo, a Receita Federal) e do Judiciário, é uma tendência que deve se consolidar, avalia o advogado previdenciário Jairo Guimarães, do escritório Leite e Guimarães, de Santo André.

Para ele, a esperança é que outros procedimentos eletrônicos sejam adotados em breve. Ele cita que a Previdência, embora disponibilize várias informações, a primeira fase do processo de pedido do benefício ainda é físico. “Mas se recorrer da decisão, passa a ser virtual”, observa.

Fonte: Diário do Grande ABC