Vendas reais do varejo sobem 3,6% no 3º trimestre, aponta índice da Cielo

16/10/2014

As vendas do comércio varejista brasileiro subiram 3,6 % no terceiro trimestre de 2014 sobre igual período do ano passado, já descontada a inflação, segundo índice apurado pela empresa de meios de pagamento eletrônico Cielo, divulgado nesta quarta-feira (15/10).

O avanço representa ligeira aceleração ante o crescimento de 2,9 % do índice deflacionado no segundo trimestre, embora tenha ficado significativamente abaixo da alta de 6,1 % mostrada no terceiro trimestre de 2013.

Segundo o gerente de inteligência da Cielo, Gabriel Mariotto, o pequeno aumento na comparação sequencial deve-se sobretudo à menor pressão de preços em setores de serviços, como companhias aéreas e hotéis, ante o segundo trimestre, período marcado pela Copa do Mundo.

“Mas de forma geral, o patamar de crescimento trimestral não mudou. Ele ficou na casa dos 3 % (índice) deflacionado, bem abaixo da tendência mostrada no ano passado”, disse Mariotto.

O índice da companhia é calculado a partir da base de 1,4 milhão de pontos de venda ativos credenciados à Cielo em todo o Brasil.

Em conferência com jornalistas, Mariotto citou uma desaceleração das vendas em hipermercados e supermercados no período de julho a setembro, com inflação e juros mais altos pressionando o bolso do consumidor.

Na semana passada, o Grupo Pão de Açúcar, maior varejista do país, divulgou avanço anual de 6,2 % nas vendas líquidas da sua divisão alimentar no terceiro trimestre, em desempenho inteiramente puxado pelo Assaí, bandeira de atacarejo do grupo.

Enquanto o faturamento líquido do Assaí cresceu 31,2 % no período, a 2,1 bilhões de reais, a divisão de multivarejo, que engloba as bandeiras Extra e Pão de Açúcar, mostrou leve recuo de 0,3 % na mesma linha, a 6,2 bilhões de reais.

Desempenho no mês

Em setembro, somente, a receita de vendas deflacionada do varejo subiu 3,4 % ante igual mês do ano passado, segundo o índice ICVA da Cielo, depois de um crescimento de 3,7 % em agosto e de 3,5 % julho.

Do lado positivo, a Cielo apontou a aceleração das vendas nos setores de materiais de construção e lojas de departamento, além do crescimento em drogarias e farmácias. Na ponta negativa, o destaque no mês ficou com os setores de alimentação (bares e restaurantes) e supermercados e hipermercados.

Nesta quarta-feira (15/10), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou alta de 1,1 % nas vendas do varejo brasileiro em agosto sobre julho, maior avanço em um ano e acima do esperado, em meio ao cenário de fraqueza da atividade econômica. Na comparação com agosto de 2013, no entanto, as vendas varejistas recuaram 1,1 por cento.

Fonte: Site Clipping Market com informações do Extra – RJ